Batalha ibérica, tiki taka vs contra-ataque.

Portugal terá esta quarta-feira um teste de fogo, provavelmente o maior de todos, desde que Paulo Bento tomou o leme da equipa das quinas.

As meias finais do Euro2012 vão ser provavelmente o maior teste que qualquer um destes jogadores do colectivo português jogará ao serviço da seleção nacional de Portugal, pois o adversário é “apenas” e “só” a actual campeã do Mundo e da Europa a Espanha, que acenta o seu estilo de jogo, numa troca constante não só de passes como de posições, o chamado tiki taka no mundo do futebol, mundial.

Este jogo que maravilha uns e deixa outros a bocejar de aborrecimento (ou não tive a selecção espanhola uma média de mais de 500 passes durante um jogo) e se centra sobretudo numa transição defesa ataque segura evitando a perca da bola daí a táctica espanhol, ser muitas vezes um 4-6-0, ou um 4-2-3-1 (este um sistema que obriga a um estilo de jogo  um pouco diferente e que vou abordar mais abaixo, porque não me parece que seja neste tipo de táctica que os espanhóis irão jogar na 4º feira contra Portugal), provavelmente o sistema de jogo utilizado será o 4-6-0, em que Silva estará de novo encostado a um dos flancos com Fabregas a “varrer” todo o ataque numa espécie de jogador entre o 9 e o 10, o que não invalida que possam aparecer outros jogadores na posição 9 que não Fabregas, o meio-campo deverá ser composto por Xavi, Iniesta, Xavi Alonso e Busquets e na defesa estarão os 4 do costume, Piqué, Sergio Ramos, Jordi Alba e Arbeloa.

Apontar pontos fracos a esta selecção é um pouco difícil, mas este tiki taka tem falhas, ou melhor não serão falhas mas antes nuances que em certos momentos desconstroem e passa sobretudo pelos elementos estranhos no meio campo defensivo e ofensivo, mais concretamente, Xavi Alonso e David Silva.

Para demonstrar um pouco melhor como funciona o tiki taka vou por aqui um video e uma imagem, o vídeo demonstra em movimento como funcionam as movimentações dos jogadores durante um jogo (atenção o video não é da selecção espanhola, mas sim do Barcelona FC que foi quem criou este tipo de futebol) a imagem é a minha construção de como este sistema de jogo apareceu e quem jogou futebol, num nivel que exige competição e treinos constantes, vai entender o que eu vou expor na imagem.

Em relação à imagem, lembro-me desde pequeno quando praticava futebol, que existia nos treinos um exercício que  consistia em cones colocados na diagonal, horizontal e vertical, em longas e curtas distâncias, cada cone terá um jogador e uma ou duas bolas são necessárias para o exercicio, que consiste em 1 jogador que tem a bola nos pés, passa ao colega e corre para a sua posição, que por sua vez envia a mesma a outro colega e corre para a sua posição o que leva a um movimento e rotação constante da bola e dos jogadores, criando assim uma habituação enorme a este tipo de jogo, que é em minha óptica levado ao extremo pela equipa espanhola (segue-se a imagem).

Isto inserido num sistema táctico recheado de jogadores da mesma formação, torna-se praticamente intransponivel, pois os jogadores estão de tal forma “calcinados” neste tipo de futebol e movimento que não só conseguem manter a bola por largos periodos de tempo, como também conseguem progredir e retroceder sem qualquer dificuldade, o que dá a sensação de que é um futebol espectáculo, mas na verdade é um futebol de contenção que se usa quando não há espaço na defesa contrária e criam-se então as movimentações laterais para tentar levar o adversário  a mover o seu bloco de um lado do campo para o outro e assim criar um “buraco na lateral contrário o que permite colocar rapidamente a bola no lado contrário com um passe longo e entrar na área do adversário, mas se por acaso correr mal, o jogador que recebeu o passe longo retrocede de novo e recomeçam a jogada de novo.

Portugal terá uma dura tarefa…mas não uma tarefa impossível, longe disso, o sistema táctico de Portugal é para mim quase perfeito para o sistema que a Espanha usa, mas para que ele funcione, existem algumas coisas que terão que ser feitas, quase na perfeição.

  1. Não deixar que a Espanha consiga penetrar pelo centro do terreno, o que os vai obrigar a lateralizar o jogo onde não são tão fortes
  2. Nos momentos em que os espanhóis forem obrigados a lateralizar o jogo, não permitir quer ao lateral esquerdo, quer ao lateral direito de Portugal que se sintam tentados a juntar-se aos centrais, pois isso é o que o adversário espera que aconteça.
  3. Não correr em demasia atrás da bola, sobretudo no momento em que esta se encontra a mais de 50\60 metros da baliza, ou seja perto da linha do meio campo, ou até no campo do lado da Espanha, pois isso vai acabar por criar as chances que Xavi e Iniesta procuram de criar roturas no meio campo defensivo\defesa de Portugal e é nisso que eles são os melhores do mundo.

Para além disto, Portugal tem que se aproveitar das tais nuances que o jogo espanhol tem, que não se identifica com o tiki taka ou como alguém lhe chamou tiki takenaccio. Xavi Alonso, Sérgio Ramos, Arbeloa, Jordi Alba e David Silva, são elementos estranhos a este tipo de futebol, embora o pratiquem porque estão na selecção, gostam mais de futebol rápido e incisivo, daí que por várias vezes tentem o passe longo, o risco e é aí que Portugal pode ter algumas chances, mas para as ter é preciso, ter um meio campo, muito concentrado a 100% e de uma defesa confiante no meio-campo e com a noção correcta do que tem que fazer dento do campo.

Paulo Bento, deverá jogar com a mesma equipa que tem vindo a jogar, apenas com uma alteração que é no ponta de lança devido a lesão de Hélder Postiga, que deverá ser trocado por Hugo Almeida.

O que é que é preciso fazer para se ganhar a esta Espanha, pergunta-se toda a gente não só em Portugal, como por esse mundo fora. Ao que eu digo, não é muito dificil saber o que é preciso fazer, é preciso é conseguir fazer, vamos lá então dar cabo de “nuestros hermanos”

Primeiro de tudo em momentos defensivos, não podemos ter uma defesa nervosa e que queira subir mais do que deve, fora de tempo, depois temos que ter um meio campo, designadamente Raul Meireles e Miguel Veloso capazes de anular Xavi e Iniesta, Moutinho a pressionar Xavi Alonso e Nani descendo para tapar Busquets transformando no momento defensivo o meio campo de Portugal num meio campo com 4 jogadores e não com 3 , abrindo Hugo Almeida no lado direito do ataque e Ronaldo um pouco mais recuado no lado esquerdo.

A pressão deve ser feita o mais perto possível do meio campo, obrigando a que Xavi e Iniesta passem a bola a Xavi Alonso que irá tentar com a sua qualidade técnica e capacidade de passes longos abrir nas laterais onde Jordi Alba e David Silva estarão a espera da bola e é neste momento que Portugal se pode aproveitar, com a concentração defensiva conseguirá recuperar a bola e imediatamente transformar o momento defensivo em momento ofensivo, Nani recuperará o seu lugar e com as subidas de Jordi Alba poderá ter o flanco direito aberto, Ronaldo já está no seu sitio e Hugo Almeida só terá que vascular do lado direito para o centro do ataque, a partir daí bolas rápidas na frente, o meio campo não deverá ser usado muitas vezes para tentar ultrapassar os obstáculos que se metem a frente e são cerca de 6 jogadores para 3 de Portugal, conseguindo desta forma criar desequilíbrios na defesa com a velocidade de Nani e Ronaldo e posteriormente com a subida de Meireles ou Moutinho que deverão aparecer atrás dos dois centrais para permitir remates de longe ou tabelas para dentro da área, já Hugo Almeida será uma opção forte, já que permitirá ganhar bolas pelo ar.

É mais do que óbvio que Portugal não terá 50 chances de golo, pois a selecção espanhola monopoliza a mesma durante 60 a 70% do tempo útil de jogo, por isso é tremendamente importante, que sejam capazes de aproveitar toda e qualquer oportunidade, usando a sua melhor arma que é o contra-ataque que tão bem sabem usar, até porque neste jogo a iniciativa nunca caberá a Portugal mas sim à Espanha.

Apostar num resultado para este jogo é quase cometer suicídio, mas eu apostaria num resultado de 2-1 para Portugal e que a festeja seja verde e vermelha por este mundo fora e que de uma vez por todas o tiki taka seja “comido” por quem menos se espera Portugal!!!

3 pensamentos sobre “Batalha ibérica, tiki taka vs contra-ataque.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s